quarta-feira, 29 de julho de 2009

A imagem... da inocência.

Não tenho por hábito falar de terceiros neste "espaço" . Ou, pelo menos, não costumo identificá-los. Mas desta vez não resisto. Num passeio por blogues alheios encontrei uma fotografia absolutamente fabulosa. Não conheço o fotógrafo pessoalmente, confesso. Não percebo nada de fotografia. Mas fica o meu agradecimento ao José Carlos Marques (o fotógrafo) pela partilha.
A imagem vale apenas por aquilo vale. Vale pelo momento. Vale por não ter sido um momento "criado" propositadamente pelo fotógrafo (pelos vistos nem tempo teve para tirar o flash da mochila), mas por este ter sido rápido o suficiente para não deixar escapar algo tão doce. Estas coisas não se repetem. E acreditem que ao olhar a fotografia se sente o cheiro das pipocas coloridas e pode ver-se a nuvem de algodão de aspecto delicioso que se vai formando, para depois se colar aos dedos e desfazer na boca.
Mais abaixo, sentada no chão, a inocência. Desarmante. Rara. Algo inquietante. A descoberta. Sinto-me novamente uma menina pequena.
Pouco mais haverá a dizer. No fundo, quase receio que qualquer palavra possa estragar o momento.
Basta. É um lugar comum, mas, não raras vezes, uma imagem ainda continua a valer por
mil palavras.
 
 

Fotografia de José Carlos Marques
Página Pessoal: www.josecarlosmarques.com

2 comentários:

Eduardo disse...

é a primeira vez que te leio...e confesso que gostei.
A imagem da inocencia é cada vez mais raro porque nos dias que correm nada é feito sem segundas intenções...

Se um dia quiseres, passa no meu blog.

Obrigado

Observador disse...

Autêntica inocência.