domingo, 5 de julho de 2009

Há-de chegar um dia...

Há-de chegar um dia...
em que a noite romperá o céu com rasgos de luz,
anunciando o fim inevitável de todas as coisas.
Há-de chegar um dia...
em que o vento se arrastará indiferente ao que fica para trás
e a luz, trémula, encolhida perante o seu bafejar,
se apagará.
Há-de chegar um dia...
em que a imagem que vê no espelho se curvou aos anos
e já não se reconhece naquilo que foi noutros dias.
Há-de chegar um dia...
em que a velhice se cola na carne, entranha nos ossos e rói a alma,
deixando em seu lugar pequenas memórias desordenadas
daquilo que já não é.

Há-de chegar esse dia.
Quando não houver mais em que acreditar.

4 comentários:

Observador disse...

É fundamental que haja sempre algo em que acreditar.

Belo texto. Mais um.

Beijo

Tudo de mim. Ou quase. disse...

Observador:
Obrigada.
Sim, é um fundamental. Quando chegar o dia em que se deixe de acreditar... já não vale a pena.

Beijo

Tite disse...

Há-de chegar um dia...
em que
já não fazemos falta...
aqui,
mas em algum lado
reclamam...
a nossa presença.

E mais um ciclo se renova.

Tudo de mim. Ou quase. disse...

Gostei muito Tite, pensamento simples mas muito profundo.