domingo, 6 de setembro de 2009

D' outros voos.



Ele voou-lhe nos sonhos, cruzando-os com asas de ternura.
Ela acolheu-o, silenciosa, e no seu céu rasgou-se um sorriso.
Ele aninhou-se no peito e permaneceu. Descansou.
Lamberam feridas, choraram alegrias e tristezas.
Eram livres.

E voaram juntos.

2 comentários:

Observador disse...

Que mais se pode desejar do que ser livre?

Pedro Branco disse...

Perdi-me no voo das gaivotas
O vento fez-se amor à vista
As nuvens mantos e novas rotas
Onde se carrega uma outra conquista:
Um peito colorido de saudade
Que nos serve de motor
Uma eternidade
Um calor
Uma verdade
Um sabor
Um outro respirar que assim se veste
Neste voo onde me perco e que me deste...